Advocacia, ética e respeito.
Segunda-feira
28 de Setembro de 2020 - 

Controle de Processos

Usuário
Senha
Insira seu usuário e senha para acesso ao software jurídico

Notícias

Newsletter

Nome:
Email:

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 5,57 5,57
EURO 6,47 6,47
LIBRA ES ... 7,07 7,07

Previsão do tempo

Hoje - Taubaté, SP

Máx
36ºC
Min
18ºC
Predomínio de

Terça-feira - Taubaté, SP

Máx
26ºC
Min
19ºC
Parcialmente Nublado

Quarta-feira - Taubaté, SP

Máx
32ºC
Min
18ºC
Parcialmente Nublado

EPM inicia curso com debate sobre pandemia e contratos imobiliários

Francisco Loureiro e Cláudio Godoy foram os expositores.   A Escola Paulista da Magistratura (EPM) iniciou, na quinta-feira (6), o curso on-line Efeitos da pandemia nos contratos nominados, com exposições dos desembargadores Francisco Eduardo Loureiro e Cláudio Luiz Bueno de Godoy sobre o tema “Contratos imobiliários”. A gravação do debate pode ser acessada no canal da EPM no YouTube.   A abertura foi feita pelo diretor da EPM, desembargador Luis Francisco Aguilar Cortez, que agradeceu a participação de todos e parabenizou os coordenadores do curso, salientando a excelência dos palestrantes e a importância da matéria. “São temas relevantes, em especial nesse momento, que mostram a necessidade da participação do Judiciário, na tentativa de amenizar os problemas decorrentes da crise gerada pela pandemia”, frisou.   A desembargadora Claudia Grieco Tabosa Pessoa, coordenadora do curso e da área de Direito Civil da EPM, agradeceu ao diretor da Escola pela confiança e acolhimento, ao juiz Enéas Costa Garcia, também coordenador do curso e da área de Direito Civil, aos palestrantes e aos servidores que participaram da organização do curso, lembrando que o objetivo dos encontros é discutir temas de grande relevância no cenário ditado pela pandemia.   Iniciando as exposições, Francisco Loureiro lembrou que cada tipo de contrato gera prestações diferentes dos contratantes e sofre impactos variados em razão da pandemia. “A pandemia é fato notório, mas não é fato notório os efeitos que ela gera no cumprimento das obrigações assumidas em cada contrato, porque esses efeitos podem ser radicalmente diferentes, mesmo dentro de cada tipo contratual”, esclareceu. E ressaltou que não há tese genérica ou anistia em razão da pandemia: “o devedor deve demonstrar e provar, no caso concreto, que a pandemia tornou impossível ou dificultou temporariamente o cumprimento da prestação, desequilibrou o contrato ou violou a base objetiva do negócio jurídico”. Na sequência, discutiu algumas questões previamente pulgadas.   Cláudio Godoy observou que se pretendeu dar um regramento provisório para as questões condominiais na Lei nº 14.010/2020, que dispõe sobre o Regime Jurídico Emergencial e Transitório das relações jurídicas de Direito Privado no período da pandemia da Covid-19, e lembrou que no Projeto de Lei nº 1.179/2020 havia três dispositivos destinados aos problemas condominiais. Ele destacou o artigo 11 (vetado), que acrescentava poderes excepcionais ao síndico: a restrição de uso de áreas comuns, com respeito ao acesso às unidades autônomas, e a restrição ou proibição de festividades e de uso de abrigos de veículos por terceiros, inclusive nas áreas de propriedade exclusiva, com ressalva à necessidade de atendimento médico, obras de natureza essencial ou benfeitorias necessárias na unidade. “Esse artigo seria de grande utilidade por representar um parâmetro a seguir em problemas que estão ocorrendo. Agora, o reclamo é fundamentalmente da atuação da jurisprudência, que se vale do instrumental de Direito permanente e não de Direito excepcional, que são as disposições do Código Civil e da Lei 4.591/64 (Lei do Condomínio)”, ponderou, analisando as questões mencionadas no artigo vetado, entre outras.    imprensatj@tjsp.jus.br   Siga o TJSP nas redes sociais:  www.facebook.com/tjspoficial www.twitter.com/tjspoficial www.youtube.com/tjspoficial www.flickr.com/tjsp_oficial www.instagram.com/tjspoficial 
08/08/2020 (00:00)
Visitas no site:  1795798
© 2020 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.